História da AAPEL

Uma década de dedicação...

Após experiencias profissionais por parte de alguns professores do nosso concelho, com crianças e jovens portadores de multideficiência, constatou-se que estes, quando atingissem o fim da escolaridade obrigatória, não tinham nenhum espaço que os acolhesse e onde pudessem dar continuidade ao trabalho desenvolvido nas referidas Unidades.

Em dezembro de 2007, a Professora Filomena Palma, mentora do projeto e então a acompanhar os alunos da Unidade de Intervenção Especializada do Agrupamento de Escolas de Arcozelo, em Ponte de Lima, resolve juntar um grupo de amigos e lançar-lhes um repto: criar uma Associação que tivesse como objetivo a criação de um Centro de Atividades Ocupacionais para pessoas com deficiência grave ou profunda. Esta resposta social era inexistente no concelho de Ponte de Lima.

A primeira coisa a fazer foi constituir a Associação, para dar resposta às questões burocráticas, o que aconteceu no dia 12 de Junho de 2008, data de realização da escritura. Estavam assim criadas as condições para avançar com o projeto. Assim nasce a Associação dos Amigos da Pessoa Especial Limiana – AAPEL.

Os sócios fundadores da Associação foram: Filomena Palma, Manuela Marques, Agostinho Sousa, Olívia Rocha, Lúcia Oliveira, Eduarda Vale, Fernando Alves, Luísa Coutinho, Abel Batista, Filomena Quintela, Emídio Morais.

Até Novembro de 2008 a Associação funcionou com uma Comissão Instaladora.

A 12 de Novembro de 2008 são realizadas as primeiras eleições para os órgãos sociais da associação, perante uma única lista, os quais tomaram posse de imediato.

Após esta eleição, a Direção da AAPEL avançou em Dezembro com uma campanha de angariação de sócios, fazendo chegar esta informação aos Centros Paroquiais, Juntas de Freguesia e contactos pessoais. Paralelamente foram entregues na Segurança Social os documentos necessários ao registo da Associação com estatuto de IPSS. Foi pedido o apoio ao Município para disponibilizar as instalações para o funcionamento deste CAO. Foi então cedido em regime de comodato o edifício da antiga escola do 1º ciclo da Freiria, na freguesia de Arcozelo. Nele foram realizadas obras de reestruturação no valor de mais de 300.000,00 €, para que o edifício fosse adaptado às condições legais para que nele pudesse funcionar o Centro de Atividades Ocupacionais.

Em dezembro de 2014 foi assinado o protocolo com a segurança social e em janeiro de 2015 abria o Centro de Atividades Ocupacionais da AAPEL, com um total de vinte clientes, três trabalhadores auxiliares, uma cozinheira, uma fisioterapeuta, uma terapeuta ocupacional e um monitor a tempo inteiro, uma assistente social e um psicólogo a meio tempo, uma diretora técnica e uma médica 3 horas semanais.

Desde então O CAO presta os seguintes serviços:
a) Atividades terapêuticas, ocupacionais, desportivas e sociais.
b) Transporte para as atividades do CAO dentro da área geográfica da instituição.
c) Cuidados básicos de alimentação e higiene.
d) Atividades de vida diária, instrumentais da vida diária, orientação e mobilidade.
e) Outras atividades relacionadas com datas festivas e eventos locais.

MAPA